Por que me casei ?

Posted: terça-feira, 27 de outubro de 2009 by Marcelo Augusto in Marcadores: , ,
7


Leia Mais

Por que me casei? é uma obra recente e educadamente bem feita. O filme traz uma reflexão talvez exagerada dos relacionamentos modernos, levanta a temática entre homem e mulher, e tempera tudo ao sabor negro de se viver.

Sinteticamente, o filme narra a trama de um grupo de casais que se juntam para jantar harmonicamente durante uma noite de inverno. Durante esse evento, conhecemos as personalidades de todos os envolvidos e acompanhamos um jantar comum e tranquilo. Mas nem tudo que imaginamos é o que parece ser. No meio do jantar, uma briga verbal começa, e com ela, todos os segredos são levados a tona.

Pode-se dizer que os segredos revelados perfazem muito bem tudo aquilo que uma vida conjugal não gostaria de ouvir: traição, falta de amor, desapego, mentiras e tudo mais. Envolvidos por essa situação, os quatro casais entram em colapso e somos levados a ver um verdadeiro dossiê conjugal, onde as histórias devem ser reescritas, remodeladas e até, reinventadas.





Bem filmado, o filme traz a alma ( e a música!) soul da América com personagens negros vivendo o jeito americano de se viver. O elenco é bem estruturado, e atribui ao filme o ritmo que desejava. Dentre os atores, encontram-se Janet Jackson intepretando uma psicologa madura e Jill Scott interpretando uma mulher sem nenhuma estima e valor interno.

Por que me casei ? é um filme dramático com nuances cômicas, e se revela, além disso, um típico filme urbano, mostrando vidas normais sofrendo problemas pessoais. A atmosfera do filme é bem criada, e dá á trama o tom certo.

Um ponto curioso do filme é a sua mixagem interna de diferentes núcleos, que são os quatro casais, cada um sofrendo com seu dilema conjugal. Por causa desse leque de personagens, é possível fazer uma preferência e é possível, inclusive, criar uma torcida por algum casal favorito.








O filme, no entanto, é fraco. Apresenta coerência em seus acontecimentos, mas não traduz de forma concisa um filme reflexivo; Por que me casei ? está muito mais para uma sondagem urbana, sem aprofundamentos de análises. Nota-se muitos exageros nas situações, o que deixa o filme um pouco forçado. No entanto, a maturidade que a obra apresenta torna a sinopse em um filme delicioso de se ver, charmoso e inclusive, envolvente.

Os atores interpretam razoavelmente bem seu personagens ( com a excessão de algumas atrizes, que mostram o quanto são péssimas,  lê-se Sharon Leal), a música aperfeiçoa a atmosfera de clima soul, as verdades reveladas no jantar são polêmicas ( e até exageradas, eu diria.) e a direção do filme produziu um bom arranjo de cenas. Com tudo isso, o filme já se torna cabível de ser assistido e realmente, não decepciona.





Por que me casei ? é um filme simples, de fácil acompanhamento, temperado pela viva alma negra. A obra é incrivelmente satisfatória e possui um feeling bem tímido, voltado principalmente para a personagem de Jill. Aconselho a vê-lo, já que é sempre bom presenciar um filme sem tantos fins comerciais como tem aparecido. Um filme clean e elegante, Por que me casei é um bom entretenimento, e só.

Abraços.

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.
  1. Estranho, sua resenha ficou um tanto dúbia, meu amigo. Até a metade você, de certa forma, exalta vários pontos positivos do filme - e finaliza detonando...

    Bom, eu preciso assistir, já coloquei na minha lista.

    Abração!

  1. Não acho que você foi dúbio ao descrever o filme. Percebi que ressaltou tanto as aspectos positivos quanto os negativos.
    Alguns filmes possuem um boa temática, mas o roteiro não a explora bem. Em alguns casos, o assunto parece não se desenvolver. A capacidade técnica nem sempre está ligada diretamente à qualidade artística e, mesmo em filmes medianos, podemos nos entreter bastante.
    Caso eu tenha a oportunidade, eu verei esse filme. Não é, porém, umas das minhas prioridades. Já "Melinda e Melinda", anseio por ver!

  1. Oi !

    Pessoalmente, gostei de sua crítica. Vc escreve bem e falou de cada detalhe do filme de forma clara e objetiva. Não ficou cansativo.
    Uma boa pedida. Gosto de filmes deste tipo, que nos fazem pensar e o título deste é bem sugestivo.
    E o interessante ser um filme composto por atores negros. Muito bom.
    Um abraço.

  1. Wally says:

    Não costumo gostar do cinema de Tyler Perry, que acho superficial.

  1. Marcelo, aviso que o Literatura e Cinema está mudando de enderenço. Como o servidor do Terra estava dando muitos problemas, nós resolvemos mudar para o blogger. Então eu e o Renan queríamos pedir que você substitua o link velho pelo novo.

    http://literarioecinematografico.blogspot.com/

    Se tiver msn, me adiciona. ;)
    luis-adl@hotmail.com

  1. Dewonny says:

    Nunca tinha visto falar desse, q ñ fiquei muito interessado!
    Abs! Diego!