Resenhas Rápidas 3

Posted: sexta-feira, 28 de agosto de 2009 by Marcelo Augusto in
9

Fiquei quatro dias sem postar aqui por alguns motivos pessoais, mas hoje achei tempinho para dar uma postada típica do Cinemótica. Hoje, venho falar de alguns filmes que tive contato nesses últimos dias. Como de praxe, vamos para uma resenha rasteira e uma indicação que o Cinemótica anseia em ver! Não esqueça de deixar seu comentário.

1 - Identidade



Sinopse: Em uma noite chuvosa, numa grande estrada dos EUA, nove pessoas, aparentemente sem conexões, se deparam com a impossibilidade de seguir caminho na ferrovia. São obrigadas, a se hospedarem em um hotel barato de beira de estrada, onde pretendem passar apenas uma noite. Cada um com seu drama particular, se deparam com algo inusitado: cada um vai morrendo sumariamente, assassinados, por alguém desconhecido. Como para completar o evento, cada pessoa morre em uma contagem regressiva de dez até um. A chuva os impede de sair, e aos poucos, vemos um trama se desenrolar.




Crítica: Vi esse filme, em sua estréia, nos cinemas. Era novo ( foi em 2003 ), mas eu curti muito do esquema em que o filme lança mão. Uma hitória, atípica, em que até o meio do drama, não sabemos se sua abordagem tem temática sobrenatural ou real, Identidade é um dossiê de cenas caustrofobicas. O filme não se preocupa em passar um desenrolo enigmático com a história, na verdade, o diretor preferiu enfocar no suspense de 'quem será o próximo a morrer' . A fórmula, confesso, é saturada.

Mas o bom trabalho ministrado pelos atores [ Ray Liotta, por exemplo ], dão consistência ao pouco conhecido filme. Identidade ainda conta com uma bifurcação de sua história principal, aparentemente sem ligação: ao mesmo tempo que vemos as pessoas morrendo no hotel, vemos um preso sendo investigado em uma sala de interrogatórios.

Talvez, seja justamente por essa trama destacada na história do filme, que o diferencia dos outros filmes sobre assassinatos em série. O final é extremamente forçado. Uma pena, porque poderia ter sido explorado fantasticamente. Pode-se dizer, que no final, infelizmente o filme não conseguiu sair das amarras do estilo hollywoodiano, e forçou a barra para dizer quem é o assassino. No entanto, a história que engloba as duas vertentes narradas no filme, é singelamente agradável e interessante.



Eu indico o filme para quem quiser ver um suspense não rotineiro, mas peço que ao verem, não esperem grande coisa. O filme é um daqueles que vemos, e logo nos esquecemos de sua existência. Mas cinéfilo que é cinéfilo, esta sempre disposto a ver mais e mais filmes. Vale então a dica.

Nota: 4.8

Em cena: 3 Macacos.




O Cinemótica rastreou e encontrou um filme turco que me estimulou, a ponto de querer vê-lo, o mais urgentemente possível. Afinal, gosto de filmes expressivos.

Sinopse: Contra todas as possibilidades, uma família tenta esconder as mentiras que a envolve para se manter unida. A fim de evitar dificuldades e responsabilidades que, de outra forma seriam impossíveis de suportar, a família opta por ignorar a verdade, não para ver, ouvir ou falar sobre isso. Como no jogo dos "três macacos", escolheu ignorá-las, não vê-las, ouvi-las ou falar sobre elas. Mas esse jogo invalidaria a existência dos fatos?

Me deparei, também com diversas críticas, algumas a favor, outras contra, e por isso, resolvi expô-las, para possível debate entre os cinéfilos na blogoesfera.




Críticas contra:

Glória Gomes : A proposta é boa, mas não gostei do filme por vários motivos: falta roteiro, continuidade e falas. O longo silêncio deste filme, a falta de diálogo, são enervantes! Talvez tenha sido esta a proposta do diretor: mostrar como o silêncio afasta as pessoas e deixa margem à dúvidas, desconfianças. Este filme mostra que, para evitar encarar as pesadas provas e responsabilidades, eles escolhem ignorar a verdade, e recusam ver, ouvir ou falar sobre ela, como na fábula dos Três Macacos.

Cintia L: Ontem fui assistir ao filme aqui no RJ. Gosto de produções que fogem do estereótipo dos filmes hollywoodianos, mas confesso que fiquei um tanto decepcionada com 3 Macacos. Os pontos positivos são: o roteiro que é interessante, mas poderia ter sido explorado de outra forma, e a bela fotografia. O take da primeira cena - o carro dirigido pelo político pela estrada, a passagem pelo túnel... É sensacional. Muito bem feito mesmo. Mas pára por aí. O filme fala sobre a fábula japonesa "adaptada" para os nossos dias. Mas as longas pausas, o silêncio extremo entre os personagens são excessivos. Par falar sobre o "silêncio" não é necessário que os personagens fiquem mudos por tantos minutos. Da mesma forma que uma comédia não tem a função de fazer o espectador rir o tempo inteiro. O filme peca neste sentido... Chega ao extremo do silêncio, sem necessidade. Se o diretor dosasse as cenas, intercalasse com alguns diálogos (mesmo curtos), o filme teria um desdobramento mais envolvente. A narrativa é realmente muito lenta e o final um tanto decepcionante. Assisti num cinema frequentado por "intelectuais" e gente "cabeça", mas no final da sessão posso garantir que a grande maioria saiu da sala decepcionada e com um ponto de interrogação na testa.

Críticas a favor:

Cristina Brandão: O drama da família de Eyup não começa com o acidente e " a troca negociada" com seu patrão, mas ela já padecia do mal da incomunicabilidade, como a do teatro do absurdo. Mãos, olhos e ouvidos tapados desde a morte do menino, o filho caçula do casal que traz uma névoa escura quer paira por todas as imagens e espelha o que se passe na alma dos personagens. As cenas que os confortam são aquelas onde o garoto é "visto" ou mesmo "acaricia" os personagens. Com ele se foi o que havia de união e ternura entre os três membros da família e, com sua partida, estão envoltos no silêncio, na tristeza e no tédio. Violentam-se, cada um à sua maneira. O diretor conjuga muito bem os closes, os planos abertos e a tonalidade que expressa o noir, não como nos filmes de detetives e marginais, mas o noir de almas vencidas e bizarras.

Willis de Faria: Três Macacos ganharam o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes de 2008 e foi pré-finalista do Oscar para melhor filme estrangeiro este ano. Ele é um filme de arte dramática, com poucos diálogos, mas que as imagens por si falam. Indicado para um público amante da 7ª arte. Se você deseja ação, humor ou extravasar suas energias em filme hollywoodiano, que atinja a toda massa de público, eu não aconselho. Mas se é amante da arte cinematográfica, pode comprar o ingresso.

Caso você tenha visto esse filme, peço que exponha suas opiniões, para futuramente, quando eu tiver visto o filme, possa fazer um dossiê sobre esta obra. Caso não tenha visto, expresse suas pesperctivas, que são sempre bem vindas!

Abraços!

9 comentários:

  1. Belo blog e adorei a matéria, sou aficcionado por cinema, parabéns!

    http://livreservicos.blogspot.com/

  1. Fernanda neves says:

    Suspeita pra falar sobre o primeiro filme, particulamente gosto muito de um dos atores do filme, John Cusack, mas confesso que pelo que você escreveu a vontade não se fez tão grande...
    Enquanto ao segundo meu único comentário é:
    quando vamos vê-lo?
    com certeza, muito estimulante! adorei ver as críticas e espero ler a sua em breve !

  1. Blog do says:

    Ainda não vi Identidade sei sainda muito pouco sobre ele, gostei d evc resumir um pouco o filme, me criou expectativa, vou vê-lo.

    BLOGdoRUBINHO
    www.blogdorubinho.com.br
    www.twitter.com/blogdorubinho

  1. Cara adorei a sinopse do primeiro filme (vou ter que assistir agora)...
    adoro cinema,,,
    Parabéns pelo blog.
    :)


    Quando puder da uma passada no meu blog:
    LOUCURAS DA IMAGINAÇÃO
    www.loucurasdaimaginacao.blogspot.com

  1. Gostei de filmes parados como Solace mas não sei se gostaria desse da sugestão.

  1. Red Dust says:

    Vi o 'Identity'. Concordo que não seja uma obra prima, mas, a passo e passo, não deixa de surpreender. A história nunca tem um rumo certo, afinal o suspense necessário para manter o espectador em alerta até ao final.

    Abraço.

  1. Airton says:

    cara eu adoro iedntidade eu vi 2 vezes ey axeu realmente mto bomm
    atriz do mes excelente

    passa no blog laa

  1. Identidade tem um ótimo roteiro e uma péssima direção. Achei uma pena!

    "Os 3 Macacos" me interessou, já tinha ouvido falar do diretor Ceylan. Obrigado!

    Parabéns pelo texto ótimo!

  1. Dewonny says:

    Faz tempo q vi Identidade, filme interessante q prende a nossa atenção, gostei bastante na época!
    E quando surgir a oportunidade verei esse 3 macacos!
    Abs! Diego!