Resenhas Rápidas

Posted: quarta-feira, 19 de agosto de 2009 by Marcelo Augusto in Marcadores: , , , , , , , , , , ,
13


Tive que passar correndo hoje para postar algumas resenhas que venho preparando desde semana passada sobre dois filmes: Trilhos do Destino e Assassinato no Expresso Oriente. Espero que curtam!
Nome em Inglês: Rails & Ties
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 100 minutos

Sinopse:Kevin Bacon e Marcia Gay Harden nos dão performances emocionantes em Trilhas do Destino, um conto da diretora Alison Eastwood e que fala sobre pessoas em crise e emoções ao extremo. Bacon vive Tom Stark, um engenheiro ferroviário incapaz de encarar de frente a enfermidade de sua esposa (Harden). Então, um terrível acidente de trem deixa um menino órfão. Tom acolhe o garoto em sua casa e - passo a passo, conquista por conquista - aprende como resgatar seu relacionamento com a esposa que ama a partir do momento em que abre seu coração ao menino, que necessita muito de uma família que dê segurança e amor.

Crítica: Trilhos do Destino tenta usar a fotografia á seu favor, e de imediato, parece que funciona. Ocorre que após vermos o filme, notamos que na verdade, a fotografia arrasou com o contexto da obra. O filme é dividido em duas partes: a primeira, quando vemos os abismos de cada personagem ( a rustidão de Tom, a crise de existencialismo de Megan por causa de sua doença terminal, e as dificuldades do garoto Davey após o suícidio da mãe na ferrovia de trem ) e a segunda , onde vemos o reencontro de cada personagem consigo mesmo e com os que estão ao seu redor, atribuindo vida aqueles que estavam mortos por dentro.

A primeira parte era para ser melancolica e consegue: logo, o diretor abusa dos fadings, das músicas tristes e da dramaticidade dos personagens. O problema é que essa parte torna o filme essencialmente frio.
Bacon consegue passar a frieza de Tom, mas ele aprimora tanto o lado negativo de sua personagem, que para depois, onde deveria ocorrer a mudança psicologica interna de Tom, a personagem não perde sua áurea vazia e se torna insoso.

Megan interpreta uma personagem que deveria ter seu carisma, pois trata de uma mulher quarentona infeliz e com pouco tempo de vida para realmente ter a vida que nunca teve. Ela deveria ter seu feeling, mas isso simplesmente não ocorre. Pode-se dizer que Hardem não merecia esse papel, uma vez que a sua personagem é imcompatível com seu talento artistico, já que Megan depende de uma delicadeza profissional para criar vida nas telas, e a Hardem é conhecida pelo seu punho másculo de interpretação . O garoto do filme, Darvey , ele é pífeo.

Não chegamos a gostar de Davey, não nos solidarizamos com seu pesar, e logo não criamos uma identificação com a personagem.

Logo, a segunda parte, que era para ser mais animadora ( mesmo com a morte de Megan ), é tão fria quanta a primeira parte. Existem tentativas: Bacon esboça alguns sorrisos forçados, as personagens se tocam mais e a trilha sonora tenta dar consistência a mudança agradável dos envolvidos. Mas tudo isso não se passam de tentativas. Não conseguimos acompanhar o processo de crescimento dos personagens, e somos obrigados a ver uma obra gélida e vazia. A fórmula do filme era certa, mas sua aplicação abusou demais de recursos que não encaixam, nem na trama, nem com os atores.

2 - Assassinato no Expresso Oriente



Nome em Inglês: Murder on the Orient Express
Gênero: Suspense
Tempo de duração: 115 minutos

Sinopse: Hercule Poirot (Alfred Molina) o famoso detetive, está no histórico "Expresso do Oriente". Conhecendo a inteligência de Poirot, o empresário Samuel Ratchett, um homem com muitos inimigos, pede a ele que sirva como seu guarda-costas durante a viagem. Porém, Poirot não gosta muito do empresário e se recusa a servi-lo. Na primeira noite, enquanto todos dormem, Ratchett é assassinado.

Os passageiros acordam exaltados pelo fato do trem estar parado e com a notícia que isso poderá durar horas, longe de civilização e sem meios de se comunicar com outras pessoas. Poirot descobre que Ratchett foi responsável por um dos mais cruéis assassinatos do passado e que obviamente, o assassino é um dos 12 passageiros do vagão, assim o mestre terá que correr para descobrir quem é o assassino antes que o trem continue sua viagem.

Crítica: O filme é sensacionalmente sombrio e cômico. Com a participação de : Lauren Bacall, Ingrid Bergman, Jacqueline Bisset, Michael York, Sean Connery, Anthony Perkins, Rachel Roberts e Vanessa Redgrave, o filme é uma obra prima do suspense, onde vemos um suspense enigmático e entramos na história pela sensação de mistério que o filme tem. O filme se baseia num interrogatório de cada personagem excêntricamente estranho e complexo, onde Poirot procura através de gestos e armadilhas investigativas achar o verdadeiro assassino a bordo. O filme narra a empreitada do conhecido detetive Poirot em esbarrar em cada suspeito e encontrar algum ponto para encontrar o culpado. Um verdadeiro filme de suspense, sem as parafernalhas típicas de tribunais, advogados vazios e tramas repetitivas que vemos hoje.

Destaque para todo o elenco que souberam muito bem lidar com os olhares suspeitos, e todos os tiques de suspeitos de um crime. Quase não conseguimos encontrar no nosso íntimo o verdadeiro assassino, mas é possível encontra-lo no decorrer da trama, ou seja, não nos deparamos com aquele tipo de filmes que tornam fabulosamente impossível de se encontrar o assassino, perdendo assim a essência de um filme verdadeiramente investigativo.

O final do filme é o seu chequemate. O fim consagrou Agatha e consagrou sua obra como, para alguns, a melhor obra dela. O final é tão imprevisível e mirabolante que ficamos sem palavras ao tentar descreve-lo. Além disso, o filme tem o seu tom de suspense próprio, e vale destacar os primeiros cinco minutos do filme, onde a técnica de filmagem nos faz prender a respiração, e nos faz entrar definitivamente a bordo da história.

13 comentários:

  1. Carina says:

    Adoro filmes. Esse assassinato no Expresso deve ser incrível, fiquei com vontade agora...
    obrigado pela dica! adorei o post!

  1. Elenco de primeira + obra-prima de Agatha Christie = filmaço. Abraços e sucesso com o blog!

  1. Krak esse filme Esse assassinato no Expresso, me deixou alucinaderrima só pelo titulo, e a descrição nem se falaa o.Õ

    vou assistir, valeu pela indicação......

    d+ seu blog

    Se puder visite o meu

    http://euvoustar.blogspot.com

  1. Airton says:

    eae cara vo pega dpois sim
    vlw pelo premio

    abraçaoo

  1. Agatha Christie é o máximo! Já assisti a esse filme e esta hiper recomendado!! Vale ver, ooooo se vale!!
    E garanto que com essa sua descrição,muita gente vai correr atras para conferir...

  1. Ainda não vi este filme com kevin Bacon e Marcia Guy Harden..curto o trabalho dos dois vou procurar.

    E vc curte Agatha Christie, li sua outra postagem sobre ela. O filme "Assassinato No Expresso Oriente" é fantástico e direção de Sidney Lumet, um diretor que admiro.
    Ótimo texto e sugestões!

    Abç.
    Rodrigo M.

  1. Dewonny says:

    Olá Marcelo!
    Ñ vi nenhum, mas fiquei muito interessado em ambos!
    Abs! Diego!

  1. Weiner says:

    Marcelo, eu ainda não vi "Trilhos do destino", mas fiquei um tanto curioso quanto à seus apontamentos. Parece a estrutura de "O Leitor": um primeiro ato muito bem desenvolvido e um segundo ato totalmente destoante do proposto. Vale pela Gay harden, que acho uma ótima atriz.
    Já "Murder in orient Express", adaptado de um dos melhores livros da Agatha (também adoro "Assassinato no Campo de Golfe" e "O caso dos Dez negrinhos"), eu assisti! É um bom filme, com um elenco lendário e correto. Mas não vejo muita grandeza não. Um filme legal, bom passatempo e só.
    Abraços!!!!!

  1. Rhá says:

    Oi Marcelo!
    Primeiramente obrigada pela visita e comentário lá no blog.

    Então.. Me sinto um lixo ao ter que comentar sobre cinema, já que é um assunto que eu não entendo. Só sei se gostei ou não do filme. rs Mas, pelo que li das resenhas acima, posso dizer que nenhuma me interessou, não fazem "meu tipo" de filme. :)

    Abraços..

    Rhaíssa Morais

    www.conteudosuspenso.blogspot.com

  1. Bah nao vio ainda este filme, mas deve se bom sim, ainda mais eu que amo olhar filme, é muito bom ter essas dicas ;)

  1. Fernanda neves says:

    Nossa...
    O que eu posso dizer? Se o seu objetivo era fazer alguem querer ver algum desses filmes, você conseguiu. E conseguiu alguém que quer ver os dois. Muito boa crítica,exposição e pelo que pareceu boa escolha. (:

  1. Quero falar sobre Assassinato no Expresso do Oriente.
    Eu gostei do filme: achei a fotogragia sombria totalmente correta e gostei da maneira como alguns atores, como Lauren Bacall e Ingrid Bergman - fabulosa! - conduzem seus personagens.
    Não acho que seja uma obra-prima do suspense. Nem mesmo faz juz ao excelente livro.
    Albert Finney grita tanto que chega a doer e tudo foi simplesmente dado no filme. Diferentemente do que acontece no livro, em que detalhes parecem ter importância e realmente têm, o filme faz com que algo extremamente ligado ao filme seja ignorado pelo espectador, para depois mostrar que aquilo tem a ver com o crime.
    Um bom exemplo, é a camisola oriental. É mostrado como ser importância e depois ficar remoendo aqui, reforçando e reforçando, para depois ignorar de novo.

    Meu maior elogio vai para Ingrid Bergman!
    =)

  1. LuEs says:

    Na sinopse, há um erro: Poirot é interpretado por Albert Finney.

    Eu concordo com você que a fotografia sombria do filme é envolvente e que o suspense é bem retratado. Acho, no entanto, que há alguns defeitos que criam um abismo de diferença entre o filme e o livro. Um exemplo rápido é o caso da camisola usada por uma passageira. No livro, esse elemento é extremamente importante e o leitor se apega a esse detalhe; no filme, pouca importância é dada à tal camisola e, de repente, ela ressurge na conclusão, aparentando não significar nada.
    O elenco todo, com exceção de Albert Finney, está muito bom. Nunca imaginei um Poirot quye fale irritantemente gritando e grunhindo.
    Ingrid Bergman está muito bem, mesmo que sua participação seja muito pequena. O Renan nem sequer conseguiu notá-la no filme.. sahsaiJOSAJOSAJOihsaihsai
    Não sabemos ainda quando vamos disponibilizar a resenha desse filme lá no Literatura e Cinema; possivelmente, só no ano que vem, já que o mês de dezembro já foi decidido...
    Voltarei aqui para ver o seu fechamento do mês!